Doenças provocadas por exposição solar inadequada (Parte I)

Doenças provocadas por uma exposição solar inadequada (Parte I)

Doenças provocadas por uma exposição solar inadequada (Parte I)

Doenças provocadas por uma exposição solar inadequada (Parte I)

Já muito se tem falado sobre os perigos de tentar bronzear rapidamente sem tomar as devidas precauções a nível de proteção contra as radiações solares. A consciência do perigo de queimaduras e eventual cancro de pele está presente em todas nós. Mas fique a saber que existem muitas outras doenças que podem ser causadas pelo excesso de exposição solar:

  1. Acne: Quando a pele está demasiado tempo ao sol, a pele fica irritada e transpira mais, produzindo maior quantidade de sebo. Estes são fatores ideais para a proliferação de fungos e bactérias que causam a acne. Se tem esta tendência, procure manter a pele limpa e utilize protetores solares que não contenham óleo para evitar o agravamento do problema;
  2. Alergia: Um elevado número de pessoas apresenta reações alérgicas ao sol e fotossensibilidade. Estas reações consistem em vermelhidão, comichão e urticária. Se é alérgica ao sol, utilize sempre um protetor solar adequado e peça ao seu médico para lhe receitar um antialérgico;
  3. Envelhecimento Precoce: A radiação solar provoca danos sobre as células cutâneas, nomeadamente a nível das fibras de colagénio e elastina, causando rugas mais acentuadas e provocando o aparecimento de pequenas manchas;
  4. Melasmas: A exposição solar excessiva pode provocar manchas acastanhadas, sobretudo no rosto, mãos e peito. Embora algumas pessoas apresentem maior predisposição genética para desenvolver estas manchas, trata-se de um problema muito comum que afeta grande parte das mulheres. São, sobretudo, frequentes em mulheres grávidas (também conhecidas como “pano”), que tomam contracetivos orais ou que estão na menopausa. Os melasmas já têm tratamento, podendo até ser eliminados, mas irão continuar a surgir se não forem tomadas precauções especiais durante a exposição solar. É vital o uso de um protetor com FPS elevado, que deve ser aplicado de 2 em 2 horas.

Nota: leia a continuação deste artigo – a segunda parte.

Comentários recentes...